Macal Soluções em Nutrição

Orientações

Perspectivas na pecuária de corte: é hora de avançar, manter ou retrair?

   O ano de 2017 promete ser um ano de estabilidade nos valores da arroba do boi, todavia com valores inferiores aos praticados durante o ano de 2016. Em poucas palavras, isso se explica frente a um consumo interno desaquecido promovido pela diminuição no poder de compra da população brasileira e fatores recentes relacionados a problemas na fiscalização federal dos produtos cárneos brasileiros. Quem nunca ouviu a expressão “quem manda no boi é a vaca”, em ano de retenção de fêmeas, valores maiores para arroba são observados, e o contrário também é válido, como nesse ano de 2017 em que o aumento no abate de fêmeas já é sentido nas plantas frigoríficas, empurrando a arroba para baixo. Em contrapartida é provável que as exportações continuem evoluindo, principalmente em faturamento, beneficiando os valores nominais da arroba e principalmente aqueles produtores que atendem os pré-requisitos impostos pelos países importadores da nossa carne.
   É fato que a carne bovina brasileira vem galgando novos patamares de padrão de qualidade através de esforços do próprio governo estadual e federal, associações de criadores, pecuaristas, empresas do setor e profissionais do agronegócio. A intensificação da pecuária parece ser uma estrada sem volta, como já dizia um velho dito popular: “coisa boa a gente acostuma rápido”, e não deixa de ser verdade, quem experimenta produzir acima de valores de 10, 12, 15 arrobas por hectare, com toda a certeza não pensa em voltar a produzir próximo a média nacional de 4 arrobas por hectare, puramente por uma questão financeira, ou seja, sobra mais dinheiro no bolso no final do mês. Acompanhando a intensificação vem a utilização de suplementos de maior consumo, com uma maior participação de grãos na dieta dos animais criados a pasto, em outros tempos recebendo apenas suplementação mineral. Concomitantemente a isso, o preço do milho, principal matéria prima dos suplementos de maior consumo, tende a ficar abaixo de R$ 20,00 em algumas praças, dando luz a melhoria das margens da pecuária, antagonicamente ao ano de 2016 em que as margens ficaram bastante apertadas devido ao alto custo das principais matérias primas.
   Embasados por este breve cenário da pecuária atual podemos observar com clareza que em ano de arroba estável e milho voltando a casa de R$ 20,00 a saca, as ações desenvolvidas dentro da porteira serão peças chave para aqueles que buscam obter sucesso na atividade. Você pode se perguntar, o que se encaixa na categoria dentro da porteira? Tudo aquilo que são custos operacionais efetivos, como a suplementação, adubação, medicamentos, energia, mão de obra, e assim por diante, ou seja, vai ganhar mais dinheiro quem conseguir alinhar todos esses fatores às metas de produção. Dentre os fatores citados, a nutrição é a principal ferramenta para aumentos de produtividade em curto espaço de tempo e influencia diretamente no todo, representando grande parte do custo total. Infelizmente a percepção do pecuarista muitas vezes tem sido equivocada quanto a isto, diminuindo o investimento nesse setor, impactando negativamente todo o restante da atividade, pois a lucratividade é diretamente dependente do desempenho animal. Todo animal tem um custo mensal para a fazenda, vamos pensar que esse animal não esteja desempenhando satisfatoriamente, agravando a situação, pois quanto menor o desempenho menos o custo é diluído. Então, ao invés de entrarmos na onda pessimista do “vamos reduzir tudo”, façamos o contrário, vamos estudar as melhores soluções dentro de todo esse contexto e continuar alavancando a pecuária de corte brasileira. As crises econômicas são cíclicas, aproveite o momento para fazer o melhor que puder e quando chegar a época das vacas gordas esteja dois passos à frente daqueles que escolheram retrair.

   Conte conosco para procurarmos juntos a melhor solução nutricional para o seu rebanho.  Não se esqueça, “O lucro é o subproduto das coisas bem feitas”.

Nathan Machado Cavalcante
Departamento Técnico – Macal Soluções em Nutrição